A Laws.Africa project
3 August 1984

Mozambique Government Gazette Series I supplement dated 1984-08-03 number 31

Download PDF (346.2 KB)
Page 1
     Quarta-feira,136de Setembro de 1984                                                        I SÉRIE — Número 31




                                BOLETIM DA REPUBLICA
                                        PUBLICAÇÃO OFICIAL DA REPÚBLICA POPULAR DE MOÇAMBIQUE




                               SUPLEMENTO
                      SUMARIO                                        Nas duras condições da sociedade colonial ele soube
                                                                  antever a nação moçambicana, soube assumir a verdadeira
          Comissão Permanente da Assembleia Popular               dimensão do seu país e do seu povo
Resolução n.° 7/84:                                                   É a luta pela construção da nação moçambicana que
    Concede o título honorífico de Herói do Trabalho da Re-       Marcelino dos Santos var dedicar toda a sua vida.
      pública Popular de Moçambique ao Major-General Mar-             Como jovem estudante em Portugal, Marcelino dos
      celino dos Santos, membro do Bureau Politico e Secretário   Santos descobre a extensão do projecto colonial de assimi-
      do Comité Central do Partido Frelimo, Secretario da
      Comissão Permanente da Assembleia Popular e Dirigente
                                                                   lação. Longe do seu pais, juntamente com outros jovens
      da Província de Sofala                                      estudantes africanos, de Angola, da Guiné-Bissau, de Cabo
                                                                   Verde, de S Tomé e Príncipe, Marcelino dos Santos rejeita
                                                                   o processo despersonalizante da assimilação e assume as
                                                                  suas raízes, a sua identidade africana
    COMISSÃO PERMANENTE DA ASSEMBLEIA POPULAR                         Neste processo, cm Portugal e, mais tarde, em França,
                                                                   duas ideias ganham força na acção de Marcelino dos
                      Resolução 7/84                              Santos a necessidade da unidade das forças que combatiam
                                                                  o colonialismo português e a solidariedade com a luta do
                       de 3 de Agosto
                                                                   povo português, oprimido também pelo mesmo regime
  Há homens que, pelas suas vidas, sintetizam as virtudes,        que oprimia o povo moçambicano
as qualidades e as melhores aspirações dos povos de que               Marcelino dos Santos assume a dimensão do interna-
são filhos                                                         cionalismo, da solidariedade com as lutas justas dos povos
                                                                  oprimidos
  São homens que, pela sua prática, pelo seu modo                           de dos Santos temvida,
                                                                     Marcelino                   umapela forma
                                                                                                      acção     como se
                                                                                                            de maior     engajam na
                                                                                                                       impor-
adquirem a dimensão definitiva de construtores do futuro          tância na coordenação dos movimentos e organizações
   A história das suas vidas constitui inspiração para os         nacionalistas das colonias portuguesas
seus contemporâneos A sua presença, a sua acção, o seu               Mantendo permanentemente ligações com Moçambique,
pensamento dinamizam vontades e forças, formam com-               Marcelino dos Santos assume um papel fundamental na
batentes, aprofundam a consciência revolucionária daqueles        criação e na acção da Conferência das Organizações
que os rodeiam O seu exemplo perdura na história, pro-            Nacionalistas das Colonias Portuguesas, de que foi eleito
longate nas novas gerações                                        secretário-geral
   Neles encontramos inspirações Neles procuramos a                  Nessa qualidade, ele é    elemento principal nas tarefas
coragem necessária                                                de congregar os movimentos de libertação, de coordenar
   Como combatente nacionalista, como poeta, como diri-           as acções conjuntas contra o inimigo comum, de procurar
gente, como revolucionário, Marcelino dos Santos é desses         que cm cada colónia surja uma frente de libertação e de
homens                                                            preparar quadros para a luta
   Marcelino dos Santos nasceu numa terra profundamente              Marcelino dos Santos pertence também a nossa História
marcada pela opressão, pela desigualdade entre os homens,         como o primeiro poeta da lula pela independência É a
pelo racismo, pela exploração Nasceu de uma família de            sua voz, a voz de Kalungano que solta o verso que será
operários                                                         a palavra de ordem de toda a poesia de libertação. «É
  Na complexa estratificação da sociedade colonial, ele           preciso plantar/a árvore da independência nacional»
devia ocupar um lugar determinado Muito jovem ainda,                 A sua obra poética ocupa um lugar decisivo na ruptura
estudante, ele reconhece o mecanismo da engrenagem em             com os modelos culturais impostos pelo colonialismo Rup-
que o sistema impunha a sua insersão E recusa Começava            tura que é feita pela essência, porque os seus poemas se
aqui a sua ruptura com o sistema, a sua negação do mundo          enraivavam na vida, no sofrimento e nas aspirações dos
colonial.                                                         homens da sua terra, exprimiam a realidade de Moçam-

Page 2
Download full gazette PDF